Ney Bello lança livro de contos TUSITALA, uma volta ao mundo em nove histórias. 

Um homem morre! Mesmo morto se recorda da vida; aposentados apostam na liberdade e na prisão em um tribunal; um sultão entre as vidas e o poder; homens à procura do entendimento acerca de si mesmos.
A diversidade de personagens e cenários é a aposta do escritor Ney Bello em Tusitala, seu novo livro, o primeiro de contos, que será lançado nesta sexta-feira, na Livraria e espaço Cultural AMEI (São Luís Shopping), a partir das 19h.

O intrigante título da obra é uma homenagem ao escritor Robert Louis Stevenson, um dos vários escritores referendados em Tusitala. Foi este o apelido que o autor de “A Ilha do Tesouro”, “Raptado” e “O Médico e o Monstro” recebeu dos habitantes da ilhas dos mares do sul onde passou a residir por ordens médicas. “Tusitala é contador de histórias populares, como aqui os são os cordelistas”, explica Ney Bello.

O lançamento contará com apresentação musical, cocktail e palestra do autor.

Os nove contos que o compõem foram escritos em diversos locais e em épocas diferentes, geralmente partindo da observação de um detalhe do cotidiano, sejam dois desconhecidos conversando em um café, como em “Outra vida em Paris”, uma forma de entretenimento sui generis como em “O boa-hora” ou mesmo uma tradição há muito perdida, como em “Sob o olhar da grande mesquita”. O que se lê como resultado é uma prosa leve e certeira voltada para uma ampla gama de leitores, “é apenas um livro de contos que pretende divertir, contar histórias, e nada mais!”, explica Bello na introdução de Tusitala.


A edição contou com projeto gráfico do escritor Bruno Azevêdo e ilustrações do paulista Caeto Melo, que deu às histórias um tom forte em preto sem meios tons, construindo dinamismo às cenas construídas nos 9 contos.

Ney Bello nasceu em São Luís em 1969. Possui uma longa carreira jurídica, com foco na docência e na magistratura. Hoje é professor da pós-graduação da UnB e juiz federal. Publicou 3 livros e dezenas de artigos. É membro das academias Sambentoense e Maranhense de letras

Deixe uma resposta