Com falsas promessas Prefeitura abre galeria de esgoto na Vila Sésamo na Liberdade e deixa população entregue ao lixo e fedentina insuportáveis por mais de 5 meses

A prefeitura de São Luís, através da SEMOSP, que segundo moradores do bairro, foi representada pelo próprio secretário, Antonio Araújo, fez um acordo extremamente desigual com a população da Vila Sésamo no bairro da Liberdade. No acordo, capitaneado pelo vereador  governista, César Bombeiro, a secretaria faria a revitalização da galeria da Vila desde que os moradores fizessem a limpeza de todo lixo que estivesse dentro dela. Uma proposta que além de inescrupulosa, absurda e maldosa, colocou em risco a saúde e até mesmo a vida daqueles cidadãos, visto que eles não dispunham da mínima condição técnica e instrumental para realizar a referida limpeza. Mesmo assim a limpeza foi feita e o lixo amontoado na rua a espera do pessoal da limpeza pública, conforme combinado com o secretário.

E lá se vão  5 meses,  e até o momento nenhuma palha foi movida pelo poder público municipal para o cumprimento de sua parte no acordo, aliás, dar calote na população é característica marcante dessa administração, basta lembrar das promessas de campanha do prefeito Edivaldo. O que era ruim, ficou muito pior, pois agora a galeria está a céu aberto, o lixo nas portas dos moradores e o odor insuportável tomou conta de toda Vila Sésamo, o retrato fidedigno de como esse governo municipal tem tratado os seus patrões, sua gente. Os festejos tradicionais(São Benedito e Divino)e festas de época( dia dos pais, das crianças…) que sempre aconteciam naquela localidade, foram comprometidas e não puderam ser realizadas por conta do descaso e falta de urbanidade da Prefeitura de São Luís. “Quem sabe as vésperas das próximas eleições esse prefeito não venha nos tirar dessa merda que ele nos colocou” desabafou uma moradora antiga.

Segundo os moradores, o vereador César Bombeiro apareceu novamente por lá pra enganar, iludir  e mentir,   falando que sensibilizou o prefeito e que ele, o vereador, conseguiu que a obra fosse concluída brevemente. Já vacinados contra tanta enganação, a população ficou mais indignada ainda com a proposta de que para colocar as placas de concreto e fechar a galeria, foi exigido que eles limpassem novamente toda a galeria, arriscando suas vidas e saúde.

Esse é o retrato de uma administração que prima em atender e colocar as relações e sentimentos pessoais acima do cumprimento do seu dever, que  usa abusivamente da desfaçatez e tolerância para atender aos seus, em detrimento da coletividade. O surgimento imperativo do  patrimonialismo, apropriação privada do espaço público, muito claro no patrocínio milionário dado ao arraial do presidente da câmara, enquanto as brincadeiras do carnaval, até hoje não receberam seus  prêmios. Vista grossa para a apropriação criminosa do dinheiro público, como no caso do vereador e “aliado conspirador” Honorato Fernandes do PT, que sumiu com quase 400 mil reais dando as justificativas mais estapafúrdias e absurdas como se todos fossemos idiotas, nunca foi prestado conta desse valor e tudo ficando por isso mesmo. É o estabelecimento definitivo e  sem reservas, do sentimento de desigualdade, onde a lei é para os outros, não para os especias, não para os meus.

Deixe uma resposta