Liminar do ministro Gilmar sobre condução coercitiva causa desconforto em boa parte do STF

Causou desconforto entre alguns integrantes do Supremo Tribunal Federal (STF) a decisão liminar (provisória) do ministro Gilmar Mendes proibindo, em todo o país, a realização de condução coercitiva para interrogar investigados.

O ministro considerou que esse procedimento é inconstitucional.

A contrariedade de alguns colegas da Corte é que a decisão foi tomada pouco antes do recesso do Judiciário. A avaliação feita internamente é que essa liminar deveria ser analisada imediatamente pelo plenário pelo alcance de medida.

Há uma visão de parte do STF que a liminar tem poder para esvaziar ações da Lava Jato. E, por ser um assunto tão complexo, deveria ser tomada pelos 11 ministros da corte.

autor/gerson-Camarotti

Deixe uma resposta