Inacreditável: Professor é impedido pelo Diretor de dar aulas práticas no Hospital Veterinário Universitário da UEMA

Enquanto no Hospital Veterinário Universitário Francisco Edilberto Uchoa Lopes, como se fosse um Hospital privado, cobra-se pelo atendimento dos animais da população, professores, de maneira acintosa, são impedidos de ministrar aulas práticas no Hospital

O Hospital Veterinário Universitário Francisco Edilberto Uchoa Lopes, reafirmamos,  vem cobrando taxas abusivas e de maneira ilegal,  daqueles que o procuram no afã de tratar seus animais. Lembrando que em seu estatuto rege que o atendimento no Hospital Veterinário Universitário ao público, é obrigatório e sem fins lucrativos. A LEI Nº 13.243, DE 11 DE JANEIRO DE 2016.  não fala, em nenhum de seus dispositivos, que o Hospital Veterinário Universitário poderia cobrar da população por tratamento ou consultas, muito menos que os valores vultuosos arrecadados por conta dessa prática, não seriam passivos de prestação de contas ou mesmo de estarem a disposição da população através da transparência.  Pior ainda, usar profissionais, materiais e local pagos pela UEMA para realizarem procedimentos e recolher taxas para fins até agora não esclarecidos. Mais estranho  é o comportamento parcial daquele que deveria defender os interesses da classe, no caso o CRMV/MA , através de sua presidente, Francisca Neide, que apesar de diversas provocações, prefere manter-se inerte diante de tantas evidências.

Agora, para piorar mais ainda a situação, professores são impedidos de ministrar aulas dentro do hospital. Lembramos aqui (ouça áudio abaixo) que o professor Doutor em Cirurgia, Antonio Augusto Rodrigues, foi vítima do Diretor do HOVET, Arnodson Campelo, desrespeitando-o , chamando-o inclusive de incompetente na frente de todos e por fim  impedindo o mesmo de ministrar aulas para seus alunos. A discussão dos dois na dependência do HOVET quase chega as vias de fato.

É lamentável que um Hospital Veterinário Universitário,  que poderia claramente ajudar aos alunos e a população, amante de pequenos animais, seja tratado como se fosse uma propriedade privada. A certeza da impunidade administrativa é tamanha que até mesmo veiculação de propaganda em Jornal de grande circulação, como se fosse hospital privado, divulgando que o atendimento no HOVET era 35% mais barato que em clínicas particulares, já aconteceu, num desrespeito total ao direito do cidadão e ao poder público.

O Hospital Veterinário Universitário da UEMA, foi reprovado em  recente avaliação, culminando com o pedido de residência negado pelo MEC e pelo Conselho Federal de Medicina Veterinária, devido principalmente a falta de orientadores e de projeto pedagógico, com preocupação unicamente em estrutura física. O CFMV exigiu ainda, em caráter emergencial, que seja feito concurso para profissionais especialistas para o HOVET.

MA - Francisca neide

Francisca Neide, Presidente do CRMV-MA

Importante registrar que A  Associação de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais do Maranhão – ANCLIVEPA, através de seu presidente , Renan Fernandes Nascimento Moraes, já notificou o MP para tomada de providências que o caso requer, notadamente por conta do descaso e  omissão da Sra. Francisca Neide, presidente do CRMV-MA, que apesar de reiteradas solicitações, através de oficios, jamais se manifestou em cobrar  da UEMA uma posição sobre o grave assunto. Importante salientar que Francisca Neide,  é também Diretora do Centro de Ciências Agrárias da UEMA, órgão que administra o Hospital  Veterinário Universitário da UEMA, e que, segundo o presidente da ANCLIVEPA, vem atuando claramente como advogada de defesa na forma arbitrária, como vem funcionando o HOVET. O ministério público prometeu manisfestar-se oportunamente.

26 comentários em Inacreditável: Professor é impedido pelo Diretor de dar aulas práticas no Hospital Veterinário Universitário da UEMA

  1. Gostaria de ouvir o áudio na íntegra.!!!!Assim tirar conclusões.

  2. Um tipo de reportagem dessa qualidade, em uma atitude inresponsavel, colocaria em risco o bom funcionamento o tão necessário e unico hospital Veterinário de São Luís. Um fato interno onde os reais fatos não foram telrelata. Uma notícia recheada de inverdades e equívocos, onde apenas um lado da história foi dada a voz. Eu tenho nojo disto que hoje chamam de jornalismo. Estamos em uma época onde vimos diversos fatos na mídia onde está mais que claro que os jornalistas já não são os mesmo. Não tem mais compromisso com a verdade. São partidários. Aqui fica meu repúdio.

    • Alan Ramalho // 12/09/2018 às 8:27 pm // Responder

      O áudio não foi fabricado, as notícias não foram fabricadas, mas está aberto para uma nota, para se possível, justifique-se tantos desmandos.

  3. Eu acho que o correto seria um aluno do próprio professor dar seu posicionamento aqui na página. Eu fui aluna dele, e por diversas vezes vi ele cometendo atrocidades com os animais que ele operava. Um médico veterinário como ele, que se diz professor, não deveria ser apenas retirado do hospital, mas da própria instituição, ele não está apto para lesionar e nem para atuar na área.

    • Alan Ramalho // 12/09/2018 às 8:55 pm // Responder

      Bem Thamirys, não cabe ao blog, e nem temos capacidade técnica para tanto, avaliar a capacidade do professor Doutor Antônio Augusto.

      • Mas cabe aos alunos, que foi o que ela disse.

      • Alan Ramalho // 12/09/2018 às 9:45 pm //

        Ouvidoria Ana, esse é o caminho

      • Larissa // 15/09/2018 às 10:24 am //

        Engraçado que produzir um conteúdo totalmente parcial e tendencioso o blog pode, vocês poderiam ao menos ter a decência de ir atrás de notícias mais fidedignas e imparciais. Vejo que realmente falta capacidade técnica não só pra avaliar o professor, mas também pra produzir notícia.

  4. É um absurdo o que esses vampiros estão fazendo com o Hospital Universitario da UEMA, tomaram conta e só tem vez quem reza na cartilha do Reitor e do Diretor.

  5. É tudo muito obscuro naquele hospital, ainda tem um termo de cessão com a prefeitura muito mal explicado e ninguém sabe pra onde vai o recurso da SEMURH. MP neles!

  6. Fui aluna desse sujeito que se diz Médico Veterinário, mas é na verdade um açougueiro. Por diversas vezes vi, não só eu como TODOS os alunos que passaram pela matéria que ele “leciona”, ele cometer erros inacreditáveis, atrocidades com os animais em aulas práticas. Este sujeito não está apto para ser professor. Na verdade não deveria nem exercer a medicina veterinária. Antes da fazer uma matéria desse tipo, deverias antes se informar do motivo pelo qual o diretor do hospital o tratou dessa forma. Demorou foi muito tempo pra isso acontecer.

  7. Esse Diretor é um ditador, trata todo mundo mal. Se ele fez isso com um professor, imagina o que faz com alunos e colaboradores. Tem muita coisa atrás desse hospital, ninguém tem nenhuma informação, só quem comanda.

  8. Inacreditável é esse homem dar aula. Fui aluna dele e ele é totalmente despreparado para o cargo. Acho que demorou foi muito para ser tomado uma providência contra ele. Por diversas vezes vi, em suas aulas práticas, erros cirúrgicos BÁSICOS, vi animais que passaram por ele voltar ao hospital com complicações cirúrgicas e alguns até morrerem por isso. Este senhor não deveria nem ser veterinário. É um absurdo o que ele faz.

  9. Hospital de fachada. Pra onde vai o dinheiro cobrado? Cadê a transparência senhor Reitor? Porque mesmo o MEC não aprovou a residência? Como estão os “funcionários” que trabalham ali? Ninguém sabe de nada. Ninguém não, só poucos. Uma vergonha!

  10. Nos, alunos da UEMA precisamos saber quanto é o faturamento, mesmo indevido, do Hospital. Precisamos saber como é gato esse dinheiro. Esse hospital, como toda UEMA é dia alunos, dos funcionários e da população. Nós merecemos respeito

  11. Uma vergonha o CMVMA não se manifestar em favor de seus associados. Essa presidente devia ser impichmada

  12. Fui aluno de Medicina Veterinária na uema e vi de perto as melhorias realizadas pelo Professor Arnodson no hospital veterinário, se hj os alunos podem desfrutar da estrutura e equipamentos do hospital, foi graças a ele. Todos nós sabemos de quem é o interesse que o hospital fique jogado as traças, se tornando gratuito e consequentemente ficando sem verbas pra se manter funcinando, isso mesmo, para os empresários donos das grandes clínicas de São Luís. Lembrando que nas grandes universidades do nosso país praticamente nenhuma, realiza o atendimento gratuito.

  13. Allan, o que o diretor falou é verdade. Eu tenho uma prova viva da incompetência desse professor. Ele mutilou um animal meu, o Negão.Se você quiser fazer uma matéria estou à disposição e mostro o cão que ele retirou todo palato (céu boca ) do animal que hoje se alimenta através de uma seringa.
    Ele operou particular no hospital da UEMA

  14. É desrespeitoso tratar por Sra. quando deveria ser Dra. Assim como o diretor do hospital também é Dr., se fosse um problema envolvendo advogados ou médicos, mesmo sem doutorados, seria Dr. e Dra. para todos os envolvidos.

  15. Eu sou estagiária obrigatória do Hospital estava nesse dia e presenciei a cena. O “”””professor”””” Antonio Augusto queria colocar 30 alunos em um espaco com a capacidade de no 10 no Centro Cirurgico. NUNCA fomos impedidos de termos aula prática, muito pelo ao contrário, o professor Arnodson nos incentiva desde o 1º período a irmos para o HV. Todos os professores quando querem ter aula no HV pedem autorização e dividem a turma em grupos de 5 a 10 pessoas, para que o espaço não fique congestionado e possamos aprender melhor. Essa matéria é completamente tendenciosa e parcial, sem alguma credibilidade! Da próxima vez procure saber os dois lados da história antes de publicar inverdades e manchar os profissionais da nossa classe.

  16. Gustavo Mendonça dos Santos // 14/09/2018 às 11:53 am // Responder

    Infelizmente essa aluna jovem com o pensamento retrógado como é diretor do hospital sem nenhuma competência na área de pequenos animais esse professor que a aluna comentou é professor da cadeira de carne na UEMA, se algum outro aluno for contra vai ser perseguido e vai ser reprovado e a coisa mais importante é essa aluna não falou sendo estagiária do hospital, primeiro não tem projeto pedagógico para os alunos, segundo esse hospital veterinário é uma clínica particular disfarçada de faculdade, terceiro aonde vai esse dinheiro que nem tem nota fiscal?, quarta não tem especialista de pequenos animais, sexto é um fato que o MEC e o conselho federal de medicina veterinária negou a residência, então essa aluna é pau mandado dos professores, então é o seguinte essa aluna não tem nenhuma credibilidade de defender o hospital.

  17. Essa aluna não tem nenhuma credibilidade para falar. Ela faz parte do convívio desses arcaicos professores, principalmente o diretor do hospital que não é especialista em animais de pequenos porte, e sim professor da cadeira de Carne. Olha o absurdo. E essa aluna tem que falar mesmo, pois se falar ao contrário é perseguida é reprovada o mais importante: ela foi orientada a não falar. Primeiro: reprovação pelo MEC e pelo Conselhos Federal de Medicina Veterinária, negou a residência para este Hospital. Segundo: por que não tem um projeto pedagógico. Terceiro: o diretor do Hospital não é especialista em animais de pequeno porte. Quarto: nunca abriu concurso publico para especialista. Sexto: o item mais triste que o colocou no laudo do MEC e CFMV: que são um aglomerado de alunos que trabalham sem nenhuma orientação, não descansam, não tem um horário de estudos, são explorados 24 horas e não recebem nada por isto. O professor Antônio Augusto está certo e aquele Hospital é público, e não particular. Esta aluna deveria reavaliar essa opinião.

  18. Contra fatos não há argumentos .Sou cliente do hospital desde o início daquele lugar e sei que após a chegada desse diretor que não me importa qual disciplina ele leciona,o hospital veterinario realmente tem fisicamente e a organizacionalmente a cara de um hospital.Conseguimos tem um atendimento de qualidade com soluções para os nossos animais .

Deixe uma resposta