Governo do Maranhão descumpre acordo feito em audiência pública e não paga salários atrasados dos médicos.

Por Ricardo Fonseca

A reclamação de médicos da rede pública estadual de saúde do Maranhão, é que ainda estão com os salários de Novembro, Dezembro ( e agora Janeiro), atrasados.

Segundo o Blog Propagando, do Ricardo Fonseca, na manhã desta segunda (7), a reclamação foi geral  por parte dos médicos da rede pública estadual de saúde do Maranhão, que ainda estão com os salários de Novembro, Dezembro ( e agora Janeiro), atrasados por falta de pagamento. Segundo os médicos, o Instituto Acqua que faz administração dos hospitais e UPAS do estado do Maranhão, tem recebido os recursos estaduais, mas não tem repassado aos profissionais da saúde.

LULA SAUDE

No dia 03 de dezembro houve uma audiência publica entre o governo, o CRM e o Sindicato dos Médicos na  Vara de Interesses Difusos e Coletivos de São Luís no Fórum Desembargador José Sarney com o Juiz Douglas de Melo Martins (foto), onde ficou definido que o governo pagaria até o dia 31 de dezembro a parcela referente ao mês de novembro e, “ no dia 23 de janeiro, às 15h, uma nova reunião será realizada na Vara de Interesses Difusos e Coletivos. Na ocasião, as partes vão apresentar propostas e debater sobre a racionalização da rede de saúde pública do Maranhão”.

O Propagando entrou em contato com o Instituto Acqua através do telefone de sua filial de São Luís no Jaracaty, através do telefone com final 5188, mas a ligação chama e depois cai…  Também foi feito contato com o Secretário Estadual de Saúde – Carlos Lula – que pediu para formalizar o pedido de respostas, diretamente para a sua assessoria de comunicação, que foi prontamente feito via Whatsapp.

o Blog tentou ainda  contato com o Dr. Adolfo Paraíso, Presidente do Sindicato dos Médicos via Whatsapp, mas não obteve respostas.

O Blog aguarda a nota oficial da Secretaria de Saúde do Estado  do Maranhão – SES/MA, que prometeu se manifestar ainda hoje sobre o caso. Mas reitera a indignação dos médicos da rede pública estadual de saúde, que estão trabalhando sem receber os seus devidos proventos. Vamos ver no que vai dar essa pendenga!

Deixe uma resposta