Uso da internet no Brasil cresce, e 70% da população está conectada

Segundo pesquisa TIC Domicílios, 126,9 milhões de pessoas usaram a rede regularmente em 2018. Metade da população rural e das classes D e E agora têm acesso à internet.

O número de brasileiros que usam a internet continua crescendo: subiu de 67% para 70% da população, o que equivale a 126,9 milhões de pessoas.

Esse dado é parte da nova edição da pesquisa TIC Domicílios, divulgada nesta quarta-feira (28), que afere dados sobre conexão à internet nas residências do país. A pesquisa, feita anualmente pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic), é uma das principais no país.

Veja outros destaques da pesquisa:

  • Nas regiões urbanas, a conexão é um pouco maior do que a média: 74% da população está ligada à internet;
  • Pela primeira vez, metade da zona rural brasileira está conectada — 49% da população disse ter acesso à rede em 2018, acima dos 44% de 2017;
  • Também pela primeira vez, metade da camada mais pobre do Brasil está oficialmente na internet: 48% da população nas classes D e E, acima de 42% em 2017;
  • São 46,5 milhões de domicílios com acesso à internet, 67% do total;
  • Entre os usuários da internet, 48% adquiriu ou usou algum tipo deserviço on-line, como aplicativos de carros, serviços de streaming de filmes e música, ou pedido de comida.

Pesquisa TIC Domicílios traz dados sobre uso da internet no país. — Foto: Roberta Jaworski/G1Pesquisa TIC Domicílios traz dados sobre uso da internet no país. — Foto: Roberta Jaworski/G1

Pesquisa TIC Domicílios traz dados sobre uso da internet no país.

 

O pesquisador reiterou que a pesquisa do Cetic segue padrões internacionais, mas a comparação para 2018 ainda não pode ser feita totalmente porque os dados globais ainda não foram divulgados.

Para ele, há ainda muita margem para o acesso crescer no país — nos grandes centros e também na região rural. O Brasil ainda fica atrás, em termos de população conectada, de outros países da América do Sul, como Chile, Argentina e Uruguai. “

Deixe uma resposta