‘Te chamam de macaco e depois pedem fotos’, diz o camaronês Eto’o sobre racistas

Recém-aposentado dos gramados, ídolo do Barcelona quer se tornar o primeiro técnico negro a ganhar a Liga dos Campeões

O ex-atacante camaronês Samuel Eto’o falou na última quarta-feira 18 sobre as recentes demonstrações de racismo no futebol europeu e relembrou um jogo em 2006, entre Barcelona e Zaragoza, na qual cogitou abandonar o campo em repúdio aos insultos que recebeu da torcida adversária – na ocasião, acabou convencido por Ronaldinho Gaúcho e outros colegas a permanecer em campo.

etoo CANARÕES

“Foi muito triste. Ao mesmo tempo, agradeço ao Barcelona e a meus colegas que me apoiaram. É triste porque muitas pessoas levam seus filhos ao estádio e estas crianças podem repetir o gesto dos pais sem nem saber o que significa”, disse em entrevista à Cadena Ser, da Espanha, sobre torcedores que imitam macacos nas arquibancadas.

“Peço de joelhos que todos nos ajudem para que o futebol seja mais limpo e com mais educação. Amarelo, negro, branco, laranja… somos todos iguais e isso é o que nossos filhos devem aprender. Te chamam de macaco e depois pedem uma foto…”, continuou o ex-jogador de Barcelona, Inter de Milão, Chelsea, entre outros.

Eto’o, que anunciou sua aposentadoria no início deste mês, aos 38 anos, disse que pretende se tornar um treinador de elite. “Quero ser o primeiro técnico negro a ganhar uma Liga dos Campeões fazendo uma equipe jogar como Guardiola faz.”

Deixe uma resposta