Papa no Iraque: imagens de uma viagem que entrarão para a história

Registros de uma viagem apostólica sem precedentes!

Quem poderia imaginar há cinco ou seis anos que o Papa Francisco pisaria o solo do Iraque? Isso porque deste mesmo lugar o Estado Islâmico fazia ameaças contra a vida do pontífice…

Mesmo assim, Francisco enfrentou uma pandemia e o temor pela segurança e partiu para a terra de Abraão. De fato, uma viagem histórica, que resumimos em fotografias com os principais momentos da jornada apostólica. São registros de uma aproximação que já começa a dar furtos. Por exemplo: o dia 6 de março foi proclamado no Iraque como o “Dia da Convivência” inter-religiosa no país.

Vejam as fotos abaixo:

O Papa Francisco aperta a mão do presidente iraquiano Barham Saleh no palácio presidencial em Bagdá em 5 de março de 2021 na primeira visita papal ao Iraque. – O Papa Francisco iniciou sua viagem histórica ao Iraque, marcado pela guerra, desafiando as preocupações com a segurança e a pandemia do coronavírus para confortar uma das comunidades cristãs mais antigas e perseguidas do mundo.
Uma imagem divulgada pela assessoria de imprensa do Vaticano mostra o Papa Francisco ajustando sua capa durante em uma praça perto das ruínas da Igreja Católica Siríaca da Imaculada Conceição (al-Tahira-l-Kubra), na antiga cidade do norte do Iraque Mosul em 7 de março de 2021,
Papa Francisco (2-R) assinando o livro de visitas na Catedral Siro-Católica de Nossa Senhora da Salvação (Sayidat al-Najat) na capital Bagdá no início da primeira visita papal para o Iraque em 5 de março de 2021.
Papa Francisco cumprimentando pessoas com deficiência em frente à Catedral Siro-Católica de Nossa Senhora da Salvação (Sayidat al-Najat) na capital Bagdá no início da primeira visita papal ao Iraque em março 5, 2021.
Papa Francisco fala na Casa de Abraão na antiga cidade de Ur, na província de Dhi Qar, no sul do Iraque, em 6 de março de 2021.
Esta imagem divulgada pelo escritório de mídia do aiatolá Sistani mostra o clérigo xiita mais venerado do Iraque, o grande aiatolá Ali al-Sistani (C) se reunindo com o Papa Francisco (L) e sua delegação, em sua casa na cidade sagrada de Najaf, em 6 de março 2021.
Mansour Barzani (R) O primeiro ministro do 9º gabinete do Governo Regional do Curdistão observa, enquanto o Papa Francisco cumprimenta dignitários religiosos no aeroporto de Erbil em 7 de março de 2021, na capital da região autônoma curda do norte do Iraque.
O Papa Francisco observa as ruínas da Igreja Católica Siríaca da Imaculada Conceição (al-Tahira-l-Kubra), na cidade de Mosul, no norte do país, em 7 de março de 2021.
Uma imagem divulgada pelo escritório de mídia do Vaticano em 7 de março de 2021 mostra o Papa Francisco (C) mostrando um antigo manuscrito siríaco do arcebispo católico siríaco de Mosul Youhanna Boutros Moshe (R) na Igreja Católica Siríaca da Imaculada Conceição (al- Tahira-l-Kubra), na cidade predominantemente cristã de Qaraqosh (Bagdeda), na província de Nínive, a cerca de 30 quilômetros do norte do Iraque, Mosul.
O Papa Francisco abençoa as pessoas ao chegar no veículo papamóvel no Estádio Franso Hariri, em Arbil, em 7 de março de 2021, na capital da região autônoma curda do norte do Iraque.
s.Uma imagem divulgada pelo escritório de mídia do Vaticano em 7 de março de 2021 mostra o Papa Francisco conversando com Abdullah Kurdi, pai de Alan, o menino sírio que ganhou as manchetes mundiais quando seu corpo afogado foi levado a uma praia na Turquia em 2015, no capital da região autônoma curda do norte do Iraque, Arbil. Alan, de 3 anos, foi encontrado em uma praia perto do resort turco de Bodrum, junto com seu irmão Ghalib e sua mãe Rehanna, em 2 de setembro de 2015 e sua imagem se tornou um símbolo trágico da crise de refugiados de 2015.

Deixe uma resposta